8 de março + 1 = 8 de abril

No Gravatar

Resolvi tentar escrever sobre as mulheres e o feminismo todos mês, todo dia 8 (ou próximo disso) e como no meio de março fiz 1 ano de empresa no Metrô acho que cabe dar visibilidade as pautas das principais reivindicações das mulheres da categoria:

– Licença maternidade de 6 meses:

Lutar para que a criança tenha mais tempo com a sua mãe é uma luta de todos trabalhadores, é lutar pela necessidade básica de todo ser humano. No Metrô, lutamos por licença maternidade de 6 meses, para podermos amamentar nossos filhos com o leite materno, da maneira recomendada pelos médicos.

– Assistência às mulheres vítimas de violência:

Que o Metrô dê toda a assistência às metroviárias vítimas de violência, como assistência médica, psicológica, jurídica, etc. pois esse mal tem afetado nossa categoria,assim como toda a sociedade.

– Auxílio creche integral para todos os funcionários:

Cuidado com os filhos é tarefa de mulheres e homens, por isso o auxílio creche deve ser estendido para os metroviários.

– Que os pais possam acompanhar seus filhos em consultas médicas:

Mães e pais são responsáveis pela criação de seus filhos, por isso há tempos as mulheres se somam aos homens pela conquista desse direito, até que o menor complete 18 anos.

– Jornada especial para metroviárias e metroviários com filhos portadores de deficiência:

Mulheres e homens têm grande dificuldade para acompanhar filho portador de deficiência. Reivindicamos que a metroviária ou metroviário que tiver filho nessa condição possa cumprir jornada de 30 horas semanais, sem redução de salário.

– Extinção do “seguro assediador”:

Fim do seguro para os gerentes e dirigentes do Metrô para cobertura de processos em caso de assédio moral ou sexual.

Fonte: Sindicato dos Metroviários de São Paulo