Archive for Janeiro, 2012

#SOPAblackout

No Gravatar

Escrevi, no site do PoliGNU, um artigo que pretende apresentar um panorama geral das legislações (aprovadas ou não) que objetivam interferir na neutralidade da rede (internet) pelo mundo inteiro. Fazemos aqui um resumo sobre #SOPA, #PIPA, #HADOPI, #SINDI, #AI5-DIGITAL e quais são os objetivos por detrás destas legislações.

Para quiser conferir: http://polignu.org/artigo/sopablackout

Dica de limpeza p/ o mat de yoga

No Gravatar

Estes dias foram bem tensos para mim e resolvi então meditar um pouco, aprumar um pouco o espírito e retornar à prática de YOGA.

Aí fui lá pegar meu mat, que havia ficado num canto do quarto – estava empoeirado, um tanto sujinho… fui limpá-lo e surgiu a dúvida: é só água que passa? Pode passar detergente? Sabão?

Dei uma pesquisada e achei as seguintes recomendações de como lavá-lo:

– colocar numa banheira com água, 3 gotas de sabão neutro e 1/2 copo de vinagre branco;

– esfregar com uma esponja;

– enxaguar com água limpa até sair todo sabão;

– secar o excesso de água enrolando-o numa toalha;

– deixar secar completamente ao ar livre.

Observações importantes:

– pode ser deixado de molho um tempo na mistura inicial, se necessário;

– não pode ser lavado na máquina de lavar.

Monte Verde

No Gravatar

Bem… a escolha por Monte Verde, desta vez, não foi aleatória. Em 2007 até que foi sim… tínhamos cerca de 3 meses de namoro e foi um local em que pudemos nos conhecer melhor, ficar sem os olhos dos amigos, de ex, das famílias – era olhos nos olhos e só. Verdade + amor = uma certeza, queria ficar com o Di, era a escolha certa a se fazer. Escolha? Sim, porque à época, a ex dele era minha amiga e até agitou para que ficássemos, mas quando finalmente rolou, ela sempre punha-se inoportunamente no meio de nós (inclusive fisicamente falando… minhas amigas, vocês certamente se lembram disso). Aí, fiquei numa super sinuca de bico, se ela se portava assim, seria porque ainda gostava dele e deveria eu me afastar? Foi a essa escolha que me referi. Decidi que, ponderando os caráteres, ele valia infinitamente mais a pena e percebi isso, de fato, em Monte Verde em nov/2007.

Diego fotografando

Diego fotografando

Monte Verde tem para mim o significado pessoal do recolhimento, do distanciamento dos problemas e reflexão tranquila sobre eles. Funcionou – ou pelo menos, fez-me bem tanto em 2007 como em 2011.

Desta vez, voltei para a virada de ano, também com o Diego. Mas as intenções eram outras, embora continuemos a nos conhecer dia a dia, o foco era termos um tempo juntos, as pressões e preocupações são outras. Ainda bem! 2011 foi um ano cujo nosso tempo foi escasso, e quando digo nosso, refiro-me ao tempo para Dée e Di sem ninguém ou algum compromisso. Foi um ano marcado por passos doídos, pouco sono, pouco tempo de reflexão sobre nós e sobre o mundo. Foi um ano de muitos testes e muito apoio, difícil e que valeu. Fui para lá querendo somente estar, no presente, com o Di. E foi isso que ocorreu. Comemos bem, na hora e o que tivemos vontade. Dormimos quando e quanto desejamos. E fizemos outras coisas mais, claro 😉

Risoto de pinhão com truta defumada

Risoto de pinhão com truta defumada

Desta vez, ficamos numa pousada na avenida principal, a Banyvas, que fica do outro lado do Boteco do Lago, que foi o primeiro lugar onde almoçamos: eu fui de picanha com risoto de funghi e o Di foi de truta defumada com risoto de pinhão. Delícias! Sem contar que o restaurante contava com música ao vivo de boa qualidade (pop-rock nacional e internacional) que dava para ouvir, baixinho, gostosamente, do nosso quarto, mais tarde.

Andamos pela cidade, fizemos a contribuição turista (compramos lembranças para nossos entes queridos) e estivemos ali, no presente, inteiros. Ou quase, eu precisava mandar um texto relativo à revisão do meu TF (trabalho de formatura)…

Eu e o prato típico mineiro n'O Caipira

Eu e o prato típico mineiro n'O Caipira

No dia seguinte resolvemos comer comida típica mineira n’O Capira. Muito boa, e acompanhada de bebida gelada servida no copo de alumínio (cerveja, refrigerante, etc.). Outra refeições muito boas tivemos em outros lugares, como o creme de palmito no Marcius e o rodízio de sopas e fondues no Dom Luiz – onde passamos a virada do ano.

Tem bastante artesanato bom e bonito por lá! Um dos locais que mais me encantou foi uma loja de móveis rústicos de lá, a Paiol. Não é barato, já aviso, mas a madeira usada em geral é de demolição e tem certificação.

 

Esquilo de Monte Verde

Esquilo de Monte Verde

Conhecemos a pousada Locanda Belvedere que abriga o fantástico Museu da MPB, comandado Roberto Lapiccirella, músico e pesquisador de MPB que mantém o site Ao Chiado Brasileiro – sítio dedicado à pesquisa da Música Popular Brasileira, em especial da primeira metade do século XX. Foi na Locanda onde vi um esquilo lindo – e que não era de brinquedo! Aliás minha senha ficou sendo “a menina que acho que o esquilo era de brinquedo” – huahuahuahua.

Enfim, para não deixar muitas pendências de 2011 para 2012, terminei o texto referente às revisões do TF após a primeira noite de 12h de sono – foi bem tranquilo e rápido de fazer, descansada.

Di e Dée na virada 2011-2012

Di e Dée na virada 2011-2012

Já falei bastante dos locais a que fomos, mas tem um monte de lugares aonde eu queria ir e não fui – não por falta de tempo ou dinheiro, mas porque meus pés não aguentariam as trilhas (do Platô, da Pedra Redonda, do Chapéu do Bispo, da Pedra partida, do Selado) nem as corredeiras. Ficam aí planos para a próxima estadia na cidade… Em 2012, Monte Verde foi semente de planos para o futuro 🙂

 

Ensino a Distância

No Gravatar

Cursos à distância se proliferaram, é verdade… penso muito sobre o assunto, elenco vantagens e desvantagens mas nada consigo concluir exatamente sobre isso. Somos envolvidos necessariamente por nosso pré-conceitos e vivências que parecem ser a chancela de validação para dizer o que seja ou não bom. Bem… mas não podemos viver tudo – daí nascem estudos e leituras de opiniões alheias. Mas ainda acho que haja poucos estudos bons, confiáveis e recomendáveis sobre o tema. Estou indo pelo caminho da experiência, me inscrevendo em cursos EaD (nacionais) e vendo como são conduzidos, como avaliam, quanto e se cobram, etc.

No âmbito nacional conheço e recomendo iniciativas como as do SERPRO (Serviço Federal de Processamento de Dados), do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e do ILB (Instituto Legislativo Brasileiro do Senado Federal).

No âmbito internacional existe o tradicional Open Course Ware do MIT que conta com muitos cursos (mais de 2000) das áreas de arquitetura, planejamento, engenharias, biológicas, artes, ciências sociais e humanidades.Expand Menu

A Sttanford University, que é uma faculdade conceituada dos EUA, tem iniciativas mais recentes e apresenta opções como Desenvolvimento e análise de algoritmos (início em 23/jan/12), Modelagem (início em 23/jan/12), Teoria dos Jogos (início no fim de fev/12) e Construção Verde (início em fev/12) e Teoria da Informação (início em mar/12).

Agora, dentro da categorias dos pagos (e acho que USD 400 para cursos voltados a países em desenvolvimento é bem pago) há também os da UNITAR (United Nations Institue for Trainig and Research) testá com inscrições encerradas para o de Mobilidade Urbana Sustentável em Países em Desenvolvimento mas ainda dá para se inscrever no de Introdução à Responsabilidade Social Corporativa.

Que a tecnologia chegou e ficou, não há dúvidas… que o cuspe e giz tem sido menos eficiente tem sido percebido tanto por pesquisas quanto pelos sentimentos dos atuais professores, que concorrem com celulares, iphones, facebook, etc. Proibir é cada vez mais inviável e pouco inteligente, pois significa rivalizar com algo muito mais atrativo que um orador à frente de uma turma (não por ser tecnologia, mas por abrir muito mais portas à diversidade de pensamentos). Até o novo PNE já incorporou a ideia que devem ser previstos recursos educacionais tecnológicos (e abertos!) no sistema de ensino.

Mas e o contato humano, perguntam muitos, onde fica? Será que a invenção do cinema apartou as pessoas? A TV? Penso que não… o contato humano é insubstituível, e talvez precisemos enxergar a tecnologia como forma de aproximar pessoas. Afinal, não é mais próxima uma conversa com vídeo com seu amigo do outro lado do mundo hoje do que um telefonema possível até algumas décadas atrás?

A Wikipédia em inglês apaga-se no dia 18 de janeiro em protesto contra os projetos de lei SOPA e PIPA

No Gravatar

No dia 18 de janeiro, numa decisão sem precedentes, a comunidade wikipédica decidiu “apagar” a Wikipédia em inglês durante 24 horas em protesto contra os projetos de lei norte-americanos “Stop Online Piracy Act” (SOPA), do Congresso, e PROTECTIP (PIPA), do Senado. Sendo aprovadas, estas leis prejudicariam gravemente a Internet livre e aberta e instaurariam novas ferramentas de censura de sítios da Internet nos Estados Unidos.

Os administradores da Wikipédia em inglês confirmaram esta decisão da passada segunda-feira através de um anúncio público:

No decurso das últimas 72 horas, mais de 1800 wikipedistas uniram-se para debater medidas que a comunidade poderia tomar contra os projetos de lei SOPA e PIPA. Esta foi, de longe, a discussão comunitária com o maior índice de participação jamais visto na Wikipédia, o que ilustra bem o nível de preocupação que sentem os wikipedistas perante estes projetos de lei. A imensa maioria dos participantes apoiou uma ação comunitária que encorajasse uma maior reação pública em resposta a estes projetos de lei. Das propostas consideradas pelos wikipedistas, as que resultaram num apagão (blackout) da Wikipédia em inglês, em simultâneo com apagões similares noutros sítios da web que também recusam estes projetos de lei, foram as que obtiveram um maior apoio.

“Hoje os wikipedistas de todo o mundo expressaram o seu repúdio por esta legislação destrutiva”, afirmou Jimmy Wales, fundador de Wikipédia. “Esta é uma ação extraordinária que a nossa comunidade está a tomar. Apesar de lamentarmos ter de barrar o acesso à Wikipédia, nem que fosse por um segundo, simplesmente não podemos ignorar o facto de que os projetos de lei SOPA e PIPA fazem perigar a liberdade de expressão, tanto nos Estados Unidos como fora, e estabelecem para o mundo um espantoso precedente de censura na Internet.”

Incentivamos os leitores da Wikipédia a fazerem ouvir a sua voz. Se vive nos Estados Unidos, procure o seu representante eleito em Washington. Se vive fora dos Estados Unidos, contacte o Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Departamento de Estado ou a instituição governamental similar. Diga-lhes que repudia os projetos de lei SOPA e PIPA e que deseja que a Internet continue sendo aberta e livre.

(Tradução para português do comunicado em inglês da Wikimedia Foundation, Inc.)

Fonte: http://blog.wikimedia.pt/2012/01/a-wikipedia-em-ingles-apaga-se-no-dia-18-de-janeiro-em-protesto-contra-os-projetos-de-lei-sopa-e-pipa/

SERPRO libera cursos a distância gratuitos

No Gravatar
Compartilhar para multiplicar conhecimento. Esse é o objetivo do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) ao disponibilizar para a sociedade uma série de 14 cursos, todos licenciados em Creative Commons. Os conteúdos educacionais estão disponíveis para download a todos os interessados e também nos telecentros montados pela empresa.
O conteúdo dos cursos foi elaborado pela Universidade Corporativa do Serpro (UniSerpro) e compõem a grade de treinamento dos empregados e clientes, na modalidade Educação a Distância (E@D). Uma das vantagens para o Serpro em liberar esse material é aproveitá-lo nos telecentros do Programa Serpro de Inclusão Digital (PSID).
Ao todo, são mais 400 espaços públicos de acesso à internet, localizados em comunidades carentes em todo o país, que receberão os treinamentos. “A liberação dos conteúdos livres proporcionará mais autonomia aos Telecentros Comunitários, já que a instalação ocorre no próprio servidor. Além disso, o telecentro poderá oferecer mais esse serviço a sua comunidade”, analisa Antônio Miranda, do PSID. De acordo com ele, a atitude da empresa reforça sua posição no combate à exclusão digital. “O Serpro tem compromisso com a defesa da cidadania e ampliação dos direitos de todos os cidadãos ao acesso gratuito ao conhecimento e a tecnologia”, conclui.
Para Paulo Pastore, da UniSerpro, o compartilhamento do conhecimento é uma das premissas da Universidade. “Licenciar os conteúdos em Creative Commons é a melhor maneira de promover essa troca”, acredita. Uma outra questão importante que ele destaca é o retorno social: “O Serpro é uma empresa que se desenvolve com recursos públicos, nada mais justo do que devolver à sociedade, não só os serviços, mas também parte do conhecimento que é produzido dentro da instituição”.

Quais são os cursos?

Os temas dos cursos são variados, vão desde sensibilizações até introdução a tecnologias conhecidas. Confira a relação: Administração do Tempo, Água para Todos, Correio Expresso, Desvendando a Informática, Ética na Escola Pública, Fundamentos da Linguagem PHP5, Introdução à Gerência de Projetos, Introdução à Linguagem Java, Introdução à Programação Orientada a Objetos, Primeiro Emprego, Sensibilização para Uso do Software Livre, Ubuntu, UML e Usando o Mozilla Firefox.

Como utilizar?

Acesse o endereço http://www4.serpro.gov.br/inclusao/conteudos-educacionais-livres e faça o download dos cursos. Para isso, é preciso ter instalado na máquina o Moodle, uma plataforma livre de aprendizagem que você pode adquirir no seguinte endereço moodle.org/downloads/. Os cursos foram desenvolvidos na versão 1.9.7 e operam perfeitamente nas versões 1.9.x, acima da 1.9.7. Porém, não funcionam em versões anteriores ou no Moodle 2.0.

Licença

Nesse primeiro momento, os conteúdos foram licenciados sob a licença Creative Commons “Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0”. O objetivo do Serpro é avaliar os conteúdos e adequá-los a uma licença mais permissiva, como a CC-BY-SA ou a CC-BY-SA-NC.
Comunicação Social do Serpro – Brasília, 3 de novembro de 2011

1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social – Consocial

No Gravatar

 

A 1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social – 1ªConsocial é uma realização da Controladoria-Geral da União – CGU. Convocada por Decreto presidencial de 8 dezembro de 2010, a 1ª Consocial terá etapas preparatórias a realizarem-se de julho de 2011 a abril de 2012 em todo o Brasil, o que deve mobilizar mais de 1 milhão de brasileiros que serão representados por cerca de 1200 delegados esperados para a etapa nacional da Consocial que acontece entre os dias 18 e 20 de maio de 2012, em Brasília.A 1ª Consocial tem como tema central: “A Sociedade no Acompanhamento e Controle da Gestão Pública” e o objetivo principal de promover a transparência pública e estimular a participação da sociedade no acompanhamento e controle da gestão pública, contribuindo para um controle social mais efetivo e democrático.

Além das etapas preparatórias estaduais e municipais, a sociedade poderá debater os quatro eixos temáticos da Conferência participando e realizando conferências livres e virtuaisalém de programas e atividades especiais como: concursos culturais, debates acadêmicos e seminários, encaminhando propostas à coordenação-executiva nacional, via portal da 1ª Consocial, para serem direcionadas aos estados e à etapa nacional conforme o âmbito indicado. Read more »